Uso de máscara em crianças

Com o regresso à escola, coloca-se a questão se as crianças devem ou não usar máscara.

Neste momento em Portugal, a utilização de máscara em crianças, é apenas obrigatória, em crianças com idade igual ou superior a dez anos, nas escolas (2º ciclo) e nos transportes colectivos de passageiros.  A orientação mais recente da OMS aconselha o uso de máscaras nas escolas em crianças entre os 6 e os 11 anos.

Nos últimos tempos uma grande percentagem das pessoas com Covid-19 positivo são assintomáticas e por isso o uso de máscara é tão recomendado.

As máscaras reduzem a projecção de gotículas respiratórias que são produzidas quando uma pessoa fala, espirra ou tosse, ajudando a reduzir a transmissão do vírus. Asseguram também protecção perante pessoas que não respeitam a distância de segurança.

Segundo a Sociedade Portuguesa de Pediatria, as crianças com mais de dois anos podem usar máscara, sempre que necessário, o menos tempo possível. Reforçando a recomendação de que  permanência das crianças em espaços de maior risco sejam evitados.

Não se recomenda o uso de máscara em crianças com menos de dois anos, pelo risco de asfixia. Ou se a criança, independentemente da sua idade, não compreende as regras de utilização da máscara, não tolera a sua colocação ou toca frequentemente na máscara, pois a manipulação da máscara aumenta o risco de exposição ao vírus.

O tamanho certo é fundamental! O tamanho deve ser adequado à face da criança, cobrindo o nariz e a boca (até ao queixo). Não devem ser usadas máscaras de adulto em crianças pequenas.

Deve “treinar” com a criança o uso correcto da máscara. Use um peluche ou um boneco e brinque com a criança às máscaras:

  • Lave ou desinfecte as mãos, antes de colocar a máscara (aproveite para cantar os parabéns – tempo necessário para uma lavagem ou desinfecção eficaz)
  • Segure a máscara pelos elásticos, adapte nas orelhas e na face. A máscara deve tapar o nariz e a boca (até ao queixo).
  • Após a colocação reforce a ideia que não se deve tocar na máscara nem na cara, mas se isso acontecer, devem proceder à higiene correta das mãos, novamente.
  • O ursinho de peluche chegou a casa, está na hora de tirar a máscara, agarrar pelos elásticos e deitar no lixo se for máscara cirúrgica, ou colocar para lavar se for máscara social, num local próprio.

As crianças conseguem adaptar-se mais facilmente do que imagina. Não se esqueça de dar o exemplo, use máscara e tente não verbalizar que não gosta de o fazer.

O uso de máscaras na comunidade constitui uma medida adicional de protecção. Além de ser fundamental a sua utilização adequada, não se esqueça que o distanciamento social, as regras de etiqueta respiratória, e a lavagem das mãos com frequência, devem ser mantidos.

Crianças que se encontrem doentes, com sintomas como febre, tosse, congestionamento, corrimento nasal, diarreia ou vómitos, não devem sair de casa.

Partilhar

Chamam-me Fada, ou Encantadora de Bebés! Mas na verdade sou Mãe, Mulher e Enfermeira. 

Sou uma Mulher madura, com formação na área da Saúde (enfermeira), sempre trabalhei no meio hospitalar e em paralelo desenvolvi um projecto pioneiro em Portugal chamado Kuantos Meses (Serviços pré e pós-parto).

Sou mãe de dois filhos, a Joana com 20 anos e o André com 16 anos. Com o crescimento deles surgiram novos interesses, como por exemplo o desporto e a fotografia. Associado ao desporto, uma alimentação saudável e um estilo de vida novo. Recentemente foi-me diagnosticada uma doença Auto-imune – Miastenia Gravis. Uma doença desconhecida para muitos e com a qual eu ainda estou aprender a viver. Sempre fui muito activa e sempre encarei os obstáculos como oportunidades para realizar novos projectos – Agora chegou o momento de fazer nascer o BLOG 

Femme

covid19, distanciamento social, etiqueta respiratória, lavagem das mãos, máscara, máscara cirurgica, OMS, regresso ás aulas, Sociedade Portuguesa de Pediatria

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *