Razões para preservar a fertilidade

A ciência tem evoluído muito nos últimos anos. É realmente incrível as técnicas que já existem para fazer bebés! Mas não é sobre isso que vos vou falar hoje. Vou falar em preservar a fertilidade e adiar a chegada do bebé

A preservação da fertilidade envolve o congelamento de óvulos, espermatozoides, embriões ou tecido reprodutivo, para que a possibilidade de ter uma família biológica seja uma hipótese no futuro. Existem vários motivos pelos quais pode considerar a preservação da fertilidade:

Quimioterapia
A quimioterapia consiste na administração de fármacos que destroem as células cancerígenas, interferindo com os processos de crescimento e divisão das mesmas. Esses fármacos evitam também que o cancro se espalhe para outras partes do corpo. Para além das células cancerígenas, também afeta outras células saudáveis ​​do corpo e pode causar danos nos ovários, reduzindo o número e a qualidade dos óvulos. Alguns medicamentos de quimioterapia também podem afetar a fertilidade do homem.

Radioterapia
A radioterapia é um tipo de tratamento do cancro em que se utiliza radiação para destruir as células cancerígenas. É considerado um tratamento local, visto ser, geralmente, aplicado apenas na região do corpo onde o tumor se encontra. A radioterapia pélvica é altamente tóxica para espermatozoides e óvulos. Muitas vezes reduz a reserva ovárica da mulher e destrói as células que originam os espermatozoides.

Terapia Hormonal
A hormonoterapia é usada em vários tipos de cancro do aparelho reprodutor, como alguns cancros da mama e da próstata que usam hormonas pra crescer.  A terapêutica hormonal consiste na alteração da quantidade destas hormonas no organismo, para assim, diminuir a probabilidade destes tumores crescerem e se propagarem.

Cirurgias
Cirurgias que possam comprometer as funções reprodutoras do homem ou da mulher.

Doenças 
Doenças de origem genética que levam à perda precoce da função ovárica, por exemplo, síndrome de Turner. Ou doenças Autoimunes que necessitem o uso de fármacos que comprometem a fertilidade.

Transgénero
Uma pessoa designada do sexo masculino ao nascer, em transição para o sexo feminino, ou uma pessoa designada do sexo feminino na transição para o sexo masculino, pode querer preservar sua fertilidade antes de iniciar a terapia hormonal ou passar por uma cirurgia reconstrutiva. Ambos os tratamentos podem levar à perda parcial ou total da fertilidade.

Ainda não está pronto
Para pessoas que ainda não estão prontas para criar sua família, seja porque não encontraram o parceiro certo ou porque não estão financeiramente ou emocionalmente preparados, é possível preservar óvulos / espermatozoides para o futuro.

 

Não deixe, a sua fertilidade para trás.

 

Partilhar

Chamam-me Fada, ou Encantadora de Bebés! Mas na verdade sou Mãe, Mulher e Enfermeira. 

Sou uma Mulher madura, com formação na área da Saúde (enfermeira), sempre trabalhei no meio hospitalar e em paralelo desenvolvi um projecto pioneiro em Portugal chamado Kuantos Meses (Serviços pré e pós-parto).

Sou mãe de dois filhos, a Joana com 20 anos e o André com 16 anos. Com o crescimento deles surgiram novos interesses, como por exemplo o desporto e a fotografia. Associado ao desporto, uma alimentação saudável e um estilo de vida novo. Recentemente foi-me diagnosticada uma doença Auto-imune – Miastenia Gravis. Uma doença desconhecida para muitos e com a qual eu ainda estou aprender a viver. Sempre fui muito activa e sempre encarei os obstáculos como oportunidades para realizar novos projectos – Agora chegou o momento de fazer nascer o BLOG 

Femme

Ciência, espermatozoide, Fertilidade, infertilidade, ovários, Óvulos, quimioterapia, radioterapia, terapia hormonal, Transgénero, útero

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *