Plasma Quê? Plamaferese

Se fosse uma celebridade (Sou! Mas ninguém sabe!) poderia estar a fazer este tratamento para ficar mais jovem, estilo Michael Jackson. Mas não é o caso, nem o caso de muitas pessoas que tem de recorrer a este tratamento por questões de saúde.

A Plasmaferese é um processo de remoção de elementos que se encontram no plasma sanguíneo que possam ser responsáveis pela doença. Na maioria das vezes decide-se realizar a plasmaferese quando é necessário retirar anticorpos e complexos auto-imunes. Muitas doenças podem ser provocadas por anticorpos que se encontram no plasma. Assim como por toxinas, ou por excesso de proteínas. Para o tratamento de certas doenças, usa-se a plasmaferese para fazer uma “limpeza” do plasma para retirar o que está a causar a doença.

O Plasma é um fluido que possui a finalidade de transportar o oxigénio e os nutrientes para todos os tecidos do organismo. O Sangue é constituído por enzimas, sais minerais, glicose, proteínas, anticorpos, e várias outras moléculas importantes para o bom funcionamento do corpo humano. Cerca de 55% do volume do sangue é plasma, a parte liquida do sangue. A parte sólida é formada por plaquetas, glóbulos brancos, glóbulos vermelhos, cada um com funções especificas. É possível separar, por centrifugação, o plasma, os glóbulos vermelhos, os glóbulos brancos e as plaquetas.

Este método é indicado em doenças especificas como: lúpus, mieloma múltiplo, crioglobulinémia, hipercolesterolémia familiar, Esclerose múltipla e nas doenças neurológicas síndrome Guillain- Barré e Miastenia Gravis.

A realização deste processo implica internamento, pois é necessário colocar um cateter central, no meu caso foi na jugular (pescoço). Coloquei o cateter na sexta-feira, admito que estava muito apreensiva e ansiosa. Correu bem! É feito com anestesia local e com o apoio de ecografia para verificarem o local exacto. Para quem vai fazer, posso dizer que para além da anestesia local, que dói, depois sente-se apenas uma grande pressão.
Após colocar o cateter fui fazer um RX para verificarem que se encontrava no local certo.

E a Plasmeferese como se faz?

A Plasmaferese é muito semelhante à hemodiálise. Só que durante a hemodiálise o filtro retira as toxinas acumuladas devido a um problema renal, já durante a plasmaferese, o filtro retira todo o plasma do sangue. O plasma é direccionado para uma bolsa que será jogada fora e o sangue passa pela máquina para se misturar com o novo plasma e entrar novamente no corpo. Em alguns casos, o plasma de reposição usado é fresco, mas em muitos outros, usa-se substâncias como a albumina (proteína encontrada no plasma). No meu caso foi usado, albumina e plasma fresco.

A quantidade e o tempo do processo depende da altura e do nosso peso. Eu fiquei cerca de 3h30m. E vou fazer 5 sessões, em dias alternados. Um processo em que está permanentemente um enfermeiro a supervisionar todo o processo e a “mudar frasquinhos”! Todo o processo requer técnica asséptica (tudo esterilizado), no final o cateter é protegido por um penso estilo bolsinha que eu decidi agarrar à cabeça, com uma fita e passar a ser conhecida como a “India” do serviço!

Diariamente é colhido sangue para análises, a imunidade pode ficar um bocadinho afectada, e não é indicado estar próximo de pessoas infectadas ou doentes.

A Plasmaferese costuma ser eficaz no tratamento da Miastenia Gravis, embora seja usado apenas em situação de crise ou, quando a medicação, ou outros tratamentos não estão a ter eficácia pretendida. Foi uma decisão tomada em conjunto, com o meu neurologista, em que estamos ambos com a esperança que consiga voltar a ter a minha voz normal, subir umas escadas sem ficar com falta de ar e que até o banho não seja uma aventura.

Amanhã vou fazer a segunda sessão e espero que corra tão bem ou melhor que a primeira!

Partilhar

Chamam-me Fada, ou Encantadora de Bebés! Mas na verdade sou Mãe, Mulher e Enfermeira. 

Sou uma Mulher madura, com formação na área da Saúde (enfermeira), sempre trabalhei no meio hospitalar e em paralelo desenvolvi um projecto pioneiro em Portugal chamado Kuantos Meses (Serviços pré e pós-parto).

Sou mãe de dois filhos, a Joana com 20 anos e o André com 16 anos. Com o crescimento deles surgiram novos interesses, como por exemplo o desporto e a fotografia. Associado ao desporto, uma alimentação saudável e um estilo de vida novo. Recentemente foi-me diagnosticada uma doença Auto-imune – Miastenia Gravis. Uma doença desconhecida para muitos e com a qual eu ainda estou aprender a viver. Sempre fui muito activa e sempre encarei os obstáculos como oportunidades para realizar novos projectos – Agora chegou o momento de fazer nascer o BLOG 

Femme

anticorpos, Auto-Imunes, Cateter Venoso Central, doenças neurológicas, Doenças raras, Jugular, Miastenia Gravis, plama, plasmaferese, sangue

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *