O bebé está com febre

A febre é uma manifestação do organismo a uma infecção, e é um sintoma comum na infância. O aumento da temperatura corporal conduz à ativação do sistema imunológico que permitirá à criança defender-se do agente infeccioso.

A infecção pode ser viral ou bacteriana.

Em caso de dúvida deve avaliar sempre a temperatura do bebé. Antes de falar em valores, reforço que a temperatura basal varia ao longo do dia, com a idade, actividade física e local de avaliação. Por exemplo, um bebé que está a chorar vai ter uma temperatura mais elevada, do que quando está a dormir. Sendo assim aconselho a que tenha estes factores em consideração e em caso de dúvida, mantenha a calma e avalie novamente uns minutos depois.

Nos bebés  e crianças até aos dois anos, deve evitar-se a avaliação da temperatura na axila, pois o termómetro pode não ficar bem em contacto com a pele e dar uma avaliação alterada. O que sugiro é a avaliação timpânica (ouvido) com termómetro adequado para o efeito ou a avaliação rectal (ânus). Nestes casos só é considerada febre em temperaturas superiores a 38ºC.

A febre causa, naturalmente, alterações no bebé. Habitualmente o bebé fica mais “rabugento”, quer mais colo, apresenta menos apetite e pode ficar mais sonolento. Nós quando estamos com febre também ficamos assim, não é verdade?

Numa fase inicial, na maioria das vezes, não é necessário levar o bebé ao médico. Basta vigiar! Até porque se for viral, há uma grande probabilidade de melhorar ou passar após 3-5 dias. Reforço que cada caso é um caso e se o bebé manifestar outros sinais e sintomas deve ser avaliado.

Ter um bebé com febre. causa sempre uma grande ansiedade, a todos os pais. Eu sei bem o que isso é, até porque tive de lidar com convulsões febris, nos meus filhos.
Quando o bebé está com febre a primeira coisa a fazer é arrefecê-lo, tirando-lhe a roupa. Outra coisa que pode ser uma grande ajuda é colocar o bebé na banheira, com água a uma temperatura de cerca de menos dois graus do que a temperatura corporal ( NUNCA se deve colocar o bebé na banheira com água fria). A administração de um antipirético (paracetamol) é  habitualmente aconselhado na dose certa, consoante o peso do bebé. Manter o bebé hidratado, é outro ponto importante, a não esquecer. Se existir falta de apetite, ofereça várias vezes ao dia, pequenas quantidades de líquidos (leite materno, leite artificial, água).

Sinais de Alarme:

  • Prostração (muito sonolentas e/ou pouco reativas);
  • Irritabilidade acentuada;
  • Manchas na pele que não desaparecem com pressão local;
  • Dificuldade respiratória;
  • Urina alaranjada/acastanhada com cheiro intenso;
  • Vómitos de forma repetida e persistente;
  • Ausência total de ingestão de líquidos
  • lábios ou unhas roxas;
  • Febre e menos de 3 meses de idade;
  • Temperatura corporal igual ou superior a 40ºC;
  • Tremores intensos, descoordenados e prolongados na subida térmica;
  • Febre há mais de 3 dias sem tendência para melhorar.

Na presença de um ou mais sinais de alarme deve recorrer ao médico assistente, caso não consiga deve deslocar-se à urgência pediátrica.

Partilhar

Chamam-me Fada, ou Encantadora de Bebés! Mas na verdade sou Mãe, Mulher e Enfermeira. 

Sou uma Mulher madura, com formação na área da Saúde (enfermeira), sempre trabalhei no meio hospitalar e em paralelo desenvolvi um projecto pioneiro em Portugal chamado Kuantos Meses (Serviços pré e pós-parto).

Sou mãe de dois filhos, a Joana com 20 anos e o André com 16 anos. Com o crescimento deles surgiram novos interesses, como por exemplo o desporto e a fotografia. Associado ao desporto, uma alimentação saudável e um estilo de vida novo. Recentemente foi-me diagnosticada uma doença Auto-imune – Miastenia Gravis. Uma doença desconhecida para muitos e com a qual eu ainda estou aprender a viver. Sempre fui muito activa e sempre encarei os obstáculos como oportunidades para realizar novos projectos – Agora chegou o momento de fazer nascer o BLOG 

Femme

bacteriana, bebés, convulões febris, Crianças, febre, imunidade, Pediatra, sinais de alarme, temperatura corporal, termometro, urgencia, viral

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *