Imunoglobulina E.V – IVIg

Tudo isto é novo para mim, a doença é recente e habitualmente não evolui tão rapidamente. Recentemente tive uma crise e tivemos de avançar para a infusão de Imunoglobulina. É um dos tratamentos protocolados nestes casos – Infusão Endovenosa de Imunoglobulina (Intravenous immunoglobulin -IVIg)

Por norma é usado na Miastenia Gravis, quando a terapêutica, não está a ser eficaz ou em situações de recaída aguda dos sintomas e é necessário uma resposta rápida.

Se pensam que ser enfermeira ajuda, nem por isso! Os medos e as dúvidas são os mesmos ou provavelmente maiores!

Deixo aqui alguma informação sobre o tratamento, mas realço já, que cada caso é um caso, e ninguém melhor do que o seu médico, para lhe explicar a necessidade de realizar este tratamento, efeitos secundários e outras dúvidas.

As imunoglobulinas (anticorpos) são proteínas produzidas naturalmente pelo sistema imunológico do corpo para combater infecções. O IVIg é um produto sanguíneo que combina imunoglobulinas de muitos doadores de sangue humano. Não estando ainda muito claro como funciona o IVIg, sabe-se que impede o sistema imunológico de atacar os próprios tecidos do corpo, com o objetivo de parar o progresso dos sintomas da Miastenia.

O Tratamento é realizado em meio hospitalar, pode ser em ambulatório ou internamento. Eu fiquei internada, porque ia ser a primeira vez que ia realizar o tratamento, e porque estava em crise, com dificuldades respiratórias.

A Infusão do IVIg é administrado por via endovenosa e para isso é necessário colocar um cateter numa veia. Doí? Depende das veias, por norma escolhe-se uma na mão ou braço, as minhas até não são más, mas não correu lá muito bem e fui picada três vezes até conseguirem colocar o cateter, que aguentou 3 dias. voltei a ser picada na 4ª e 5ª infusão. Doí sempre, porque é uma picadela, mas é suportável.

Depois de colocado o cateter é adaptado um sistema ligado a uma bomba ou seringa de perfusão, que controla a velocidade da infusão. A infusão leva cerca de 2 a 3 horas, pois a IVIg deve ser administrada lentamente. A velocidade da infusão pode ser aumentada gradualmente, para um nível de manutenção, desde que não haja queixas.. Durante o processo é feita a monitorização da pressão arterial, frequência cardíaca, temperatura e no meu caso saturação de 02. Durante e após a infusão terminar é importante estarmos atentos a efeitos secundários que surjam e informar imediatamente o médico ou enfermeiro, pois pode ser necessário reduzir o gotejo ou até parar a infusão. Eu no primeiro dia tive dores lombares e dores de cabeça ligeiras, e no 3º dia hipertemia (febre).

Quais são os efeitos secundários e riscos da IVIg?

Durante ou após a infusão pode ocorrer ocasionalmente dores de cabeça, calafrios e febre, dor abdominal, náuseas , vómitos e dor nas articulações (principalmente na zona lombar). Com menos frequência, pode ocorrer reacção alérgica (comichão na pele, inchaço da face e garganta) e, em casos isolados, podem ocorrer reações de hipersensibilidade (choque anafilático). A pressão arterial também pode ter oscilações (hipotensão com sensação de desmaio), ou hipertensão.
Raramente, pode acontecer erupção cutânea ou alterações da função hepática (detectadas em análises ao sangue). Inclui-se ainda nos efeitos secundários raros a insuficiência renal aguda (aumento dos dos níveis de creatinina); inflamação do cérebro (meningite asséptica); casos isolados de diminuição temporária dos glóbulos vermelhos (anemia hemolítica/hemólise reversíveis). Muito raramente acontecimentos trombo-embólicos (formação de coágulos sanguíneos) que podem provocar enfarte do miocárdio, acidente vascular cerebral, obstrução das veias pulmonares (embolia pulmonar) e trombose venosa profunda.
Sendo IVIg um derivado do sangue é impossível eliminar completamente o risco de transmissão de infecções, embora os derivados do sangue ou do plasma humano, são submetidos a um determinado número de medidas de segurança para prevenir a transmissão de infeções aos doentes.

Qual é a dose?

Na miastenia gravis a dose de IVIg é calculada pelo médico, de acordo com o peso. E é realizado durante 5 dias.

A resposta  ao tratamento varia de pessoa para pessoa se o  IVIg for eficaz sobre a miastenia (cerca de 70%, evidencia melhorias), pode notar-se uma melhoria de alguns sintomas 4 a 5 dias após a conclusão do tratamento, mas também pode levar até 4 semanas até se notar algumas melhorias. Algumas pessoas, no entanto, não respondem a este tratamento. E nestes casos, é necessário discutir alternativas com o médico.

É necessário suspender a medicação durante a realização do tratamento do IVIg? 
O IVIg geralmente não interfere com outros medicamentos. No entanto, o médico deve estar informado sobre toda a medicação e suplementos que faz e ajustar caso seja necessário. Não é aconselhado realizar vacinas antes das 6 semanas a 3 meses, após o tratamento.

O IVIg pode ser feito na gravidez?
Não há evidências que a infusão IVIg seja prejudicial na gravidez, neste momento faz-se inclusive em tratamentos de fertilidade. Embora não tenham sido realizados ensaios clínicos com IVIg, em mulheres grávidas, verificou-se que as IVIg atravessam a placenta, de forma mais acentuada durante o terceiro trimestre. No entanto, os medicamentos que contêm anticorpos são usados há anos em mulheres grávidas e não se têm verificado nocivos durante a gravidez, no feto ou no recém-nascido.

Posso beber álcool enquanto estiver a tomar IVIg?
Não há razão para evitar o álcool antes ou depois do IVIg. No entanto, tome apenas álcool com moderação. Sendo assim não percebo porque no hospital não me serviram um digestivo após as refeições 🙂

 

 

Partilhar

Chamam-me Fada, ou Encantadora de Bebés! Mas na verdade sou Mãe, Mulher e Enfermeira. 

Sou uma Mulher madura, com formação na área da Saúde (enfermeira), sempre trabalhei no meio hospitalar e em paralelo desenvolvi um projecto pioneiro em Portugal chamado Kuantos Meses (Serviços pré e pós-parto).

Sou mãe de dois filhos, a Joana com 20 anos e o André com 16 anos. Com o crescimento deles surgiram novos interesses, como por exemplo o desporto e a fotografia. Associado ao desporto, uma alimentação saudável e um estilo de vida novo. Recentemente foi-me diagnosticada uma doença Auto-imune – Miastenia Gravis. Uma doença desconhecida para muitos e com a qual eu ainda estou aprender a viver. Sempre fui muito activa e sempre encarei os obstáculos como oportunidades para realizar novos projectos – Agora chegou o momento de fazer nascer o BLOG 

Femme

Cateter endovenoso, Efeitos secundários, Endovenoso, enfermeira, hospital, Imunoglobulina, IVIg, medicamentos, médico, Miastenia Gravis, Seringa de perfusão

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *